Importação da China segura e legal

Uma importação é o conjunto de várias etapas das quais todas devem ser feitas em ordem e de maneira sequencial para que tudo dê certo. Não é algo simples e barato, por isso, ter uma compra segura e dentro da lei, é o que vai garantir que sua mercadoria chegue no destino final sem grandes problemas.

A importação é um processo seguro desde que seja legalizada, respeitando todas as regras exigidas lei. Como já descrito, todo processo tem início, meio e fim, sequência essa que deve ser obrigatoriamente seguida para tudo dar certo.

Um exemplo de importação não segura seria fazer o pagamento ao fornecedor sem saber a origem do produto, quem está vendendo esse produto no Brasil, se o importador pode ter comunicação com o fornecedor chinês, dentre outras situações.

O importador deve ter seu radar habilitado, saber como fazer uma importação expressa, entre outras ações a serem tomadas das quais ele deve ter pleno conhecimento.

Antes de fazer qualquer pagamento ao fornecedor, é preciso obter todas as informações sobre ele, se o produto vai precisar de alguma certificação, enfim, é preciso estar por dentro de tudo a respeito de importação. Não adianta a pessoa querer trabalhar com esse ramo se não conhece as etapas que fazem parte do processo.

Se faz uma compra às cegas, fazendo o pagamento sem entender o que está acontecendo, vai acabar não recebendo a mercadoria. Então, como fazer para ter uma importação segura?

Em primeiro lugar, é preciso registrar sua empresa no Brasil, logo depois, habilitar o radar de maneira formal via banco, isto é, a pessoa deve informar a seu banco que o dinheiro está saindo do Brasil para um fornecedor lá na China.

Também deve existir uma proforma invoice, uma pack list dos produtos dentre outros documentos necessários para uma importação legalizada e segura. Para deixar bem clara essa questão, saiba que existem 2 tipos de importação: física que é a compra de produtos importados via CPF, destinada a compra somente para consumo próprio, não é exigido tantos documentos.

Para a importação jurídica, que seria via CNPJ, para compra e revenda dos produtos, aí sim, é necessário seguir uma longa lista de documentos e etapas a serem cumpridas, além do pagamento de vários impostos exigidos por lei.

Um exemplo de importação ilegal ou informal é quando um importador compra 12 aparelhos de Iphone dos Estados Unidos e traz para o Brasil como pessoa física: ele já está importando de maneira ilegal, ou então, alguém compra 12 monitores da China e traz para o Brasil via CPF, pensando em revender, está errado.

Além de providenciar tudo que já foi descrito acima para fazer uma importação legal, também é importante fazer uma inspeção de qualidade na fábrica lá na China onde os itens serão produzidos, desenvolver um relacionamento transparente e concreto com seu fornecedor.

Mas para esse tipo de importação, a pessoa tem que comprar em grandes quantidades, ter volume de compra. É possível fazer uma importação legal com pouco volume? Sim, porém, o custo vai ser muito alto.

O importador nunca deve começar um processo de importação sozinho, precisa da assessoria de um profissional que entenda de importação, pois existem muitos detalhes dos quais é preciso atenção e saber como funciona cada etapa do processo.
Achar que essa pessoa seria um “atravessador” é pura ilusão pois a pessoa vai te ajudar a entender algo importante dentro da importação, a qual o comprador não conhece.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima